Em sua mais pura interpretação, o termo Folk tende a ganhar o significado de “pessoas comuns de uma sociedade, aqueles que representam e portam os costumes, crenças e artes que compõem uma cultura.

Baseados nisso, algumas mentes perturbadas vindas das mais distintas áreas profissionais, a fim de compartilhar o seu olhar, se juntam para construir a Folk.

Direto da longínqua Niterói , conversando com o urbano e pegando pesado nas ironias, a Folk surge inspirada no cotidiano, na música que escutamos, nas pessoas com quem nos relacionamos, nos filme que assistimos, nos livros que lemos, nas drogas que usamos, nos filhos da puta em que votamos... Ou seja, no viver.

“O que você viveu ninguém rouba” 

(Gabriel Garcia Marquez em “Memória de 
minhas putas tristes”)